Mostrar mensagens com a etiqueta Mimi. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Mimi. Mostrar todas as mensagens

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

A Montanha de vida…

Passeios de água sobre a rocha deste vida a muitos anos. Por fim tu numa enxurrada, como de uma limpeza, lavaste uma alma que a muito não acreditava, que amar é bom!
Não sei onde coloquei uma opinião, um pouco de prática nas palavras de “ amor”, que hoje digo sem falsidade, no sorriso que faço sem maldade e nas loucas saudades que falo ter nos minutos que não estou ao teu lado.

Ninguém saberia o que fazer com esta pessoa que sou eu, um sonhador, um romântico, um louco recheado com ideias sobre quem eu deveria ser. Personalidade atributos como recados recebidos, sonhos reduzidos a cunhagem muitas vezes, hoje o meu sonho é apenas ao teu lado.

Os sonhos que tinha feito,  a mudança de mim mesmos, a fim de pagar o cheque que a vida pertence. Do ponto de vista espiritual, tantas vezes esta vida quis todo que lhe devo, talvez nessas tantas vezes não tive o dinheiro certo para pagar e aqui estou numa história, recaída numa divida. Eu nunca fui bom em matemática.

E então  viste tu
cantar como uma brisa,
cantando para mim com ternura
era o sonho real,
o sonho supremo,
gentilmente abri quem eu sou.
Talvez mantenho em lâminas cerradas
e do néctar que a vida deixou.
Alguém um dia
deixou-me de olhos como gotas de orvalho com o mundo refletido.
Então viste tu
vestida
numa névoa e quartzo
e da minha cabeça, meu corpo, meu coração, minha alma
imitar todos os sintomas do amor·
como se fosse real
como se euforia era nosso lugar destinado,
doce e persuasão, à tua vontade,
coloco-me de joelhos
para contaminar o teu corpo
com esta boca conhece os segredos da Eucaristia
já que cai ao teus pés com os meus joelhos, falo com orações e pornografia,
bem!!, falarei de nós.
pois só queria falar de “ Ti”
Acabei por dizer apenas “ Amo-te”

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

O tempo

Tragam um incêndio sem água para matar. 
Como um postal oferecido em rosas sentidas, 
O sangue virou-se para o coração na tua sede. 
Dedo de um amor a rasgar, raiz e caule, 
Cada momento onde os raios de sol caem. 
O coração vira o escravo que sou de ti 
Não choro sozinho, espero à dois 
As palavras hoje proferidas “ Mãe da minha filha” 
Encaixe de uma faixa musical. 
Que passei a cantar 
Como todo tempo do mundo....