quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Rio

 O Meu rio corre para ti.
Céu azul, palavras tão certas
O Meu rio aguarda resposta.
O céu, olha graciosamente. 
Vou buscar-te aos ribeiros
De recantos manchados.
Diga, céu!!
Leve-me! apenas ao encontro.

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

POEMA AOS HOMENS CONSTIPADOS


Pachos na testa, terço na mão,
Uma botija, chá de limão,
Zaragatoas, vinho com mel,
Três aspirinas, creme na pele
Grito de medo, chamo a mulher.
Ai Lurdes que vou morrer.
Mede-me a febre, olha-me a goela,
Cala os miúdos, fecha a janela,
Não quero canja, nem a salada,
Ai Lurdes, Lurdes, não vales nada.
Se tu sonhasses como me sinto,
Já vejo a morte nunca te minto,
Já vejo o inferno, chamas, diabos,
Anjos estranhos, cornos e rabos,
Vejo demónios nas suas danças
Tigres sem listras, bodes sem tranças
Choros de coruja, risos de grilo
Ai Lurdes, Lurdes fica comigo
Não é o pingo de uma torneira,
Põe-me a Santinha à cabeceira,
Compõe-me a colcha,
Fala ao prior,
Pousa o Jesus no cobertor.
Chama o Doutor, passa a chamada,
Ai Lurdes, Lurdes nem dás por nada.
Faz-me tisana e pão de ló,
Não te levantes que fico só,
Aqui sozinho a apodrecer,
Ai Lurdes, Lurdes que vou morrer.

António Lobo Antunes - (Sátira aos HOMENS quando estão com gripe)

Sentimento

Conforto os dias difíceis,
Em sorrisos que invadem a tristeza
São cores que seguem as nuvens
Risos imaginários, beijos sentidos

Toques na carne, suar sem sal
Abraços delicados enquanto os espíritos me seduzem
Uma amizade feito por mim no desejo
Na beleza do teu olhar
Na dúvida tua, dou a confiança
É a Fé para que possas acreditar,
Esta minha coragem para conhecer algo mais de ti,
Terei paciência para aceitar a verdade,
Neste meu sentimento enrolado no desejo.

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Escrito por nós (!)


Carrego o teu coração comigo (levo no deslizar do dia) ao encontro de uma luz ligada no dia que nasceste, e nunca estou sem esse brilho. És a minha força , virei um guerreiro por ti, minha doce filha. 


Não temo nenhum destino (pois és o meu destino, meu doce), quero nenhum mundo (tu sim, és o meu mundo, a minha verdade), onde poucos conseguem saber que a lua faz de mim.Pediste para deferir quem es, eu digo....

És quem sempre sonhei, és uma mulher lutadora, uma mulher não feliz no relacionamento que tem, és uma mulher procura quem valorize. 

Um dia cantarei junto ao sol , a canção mais profundo, um  segredo que ninguém conhece (Aqui é a raiz da raiz e o broto do broto o céu do céu de uma árvore chamada vida, que cresce maior do que a alma pode esperar ou a mente pode esconder) e esta é a maravilha que está mantendo as estrelas distantes .

Hoje carrego  (e levo ao meu coração). talvez num livro escrito pela vida, muitos que rodeiam quem nós somos, iram ver ( feliz para sempre). Hoje os dois sorrimos, pois em ti cresce algo nosso.Talvez amanha, prove o Mel que a tua boca bem, talvez amanha o brilho do teu olhar, diga... toca-me... A minha definição é dizer que és importante para mim.

Português moderno... cheio de novas oportunidades!!!

A NOVA LÍNGUA PORTUGUESA

Desde que os americanos se lembraram de começar a chamar aos pretos 'afro-americanos', com vista a acabar com as raças por via gramatical, isto tem sido um fartote pegado!

Em Portugal chamam-se aos pretos 'afro-lusitanos'.  Até na música já temos a 'Mariza Jackson'!

As criadas dos anos 70 passaram a 'empregadas domésticas' e preparam-se agora para receber a menção de 'auxiliares de apoio doméstico' .

De igual modo, extinguiram-se nas escolas os 'contínuos' que passaram todos a 'auxiliares da acção educativa'.

Os vendedores de medicamentos, com alguma prosápia, tratam-se por 'delegados de informação médica'.

E pelo mesmo processo transmudaram-se os caixeiros-viajantes em 'técnicos de vendas '.

O aborto eufemizou-se em 'interrupção voluntária da gravidez';

Os gangs étnicos são 'grupos de jovens'

Os operários fizeram-se de repente 'colaboradores';

As fábricas, essas, vistas de dentro são 'unidades produtivas'e vistas da estranja são 'centros de decisão nacionais'.

O analfabetismo desapareceu da crosta portuguesa, cedendo o passo à 'iliteracia' galopante.

Desapareceram dos comboios as 1.ª e 2.ª classes, para não ferir a susceptibilidade social das massas hierarquizadas, mas por imperscrutáveis necessidades de tesouraria continuam a cobrar-se preços distintos nas classes 'Conforto' e 'Turística'.

A Ágata, rainha do pimba, cantava chorosa: «Sou mãe solteira...» ; agora, se quiser acompanhar os novos tempos, deve alterar a letra da pungente melodia: «Tenho uma família monoparental...» - eis o novo verso da cançoneta, se quiser fazer jus à modernidade impante.

Aquietadas pela televisão, já se não vêem por aí aos pinotes crianças irrequietas e «terroristas»; diz-se modernamente que têm um 'comportamento disfuncional hiperactivo'

Do mesmo modo, e para felicidade dos 'encarregados de educação' , os brilhantes programas escolares extinguiram os alunos cábulas; tais estudantes serão, quando muito, 'crianças de desenvolvimento instável'.

Ainda há cegos, infelizmente. Mas como a palavra fosse considerada desagradável e até aviltante, quem não vê é considerado 'invisual'. (O termo é gramaticalmente impróprio, como impróprio seria chamar inauditivos aos surdos - mas o 'politicamente correcto' marimba-se para as regras gramaticais...)

Para compor o ramalhete e se darem ares, as gentes cultas da praça desbocam-se em 'implementações', 'posturas pró-activas', 'políticas fracturantes' e outros barbarismos da linguagem.

E assim linguajamos o Português, vagueando perdidos entre a «correcção política» e o novo-riquismo linguístico.

Estamos lixados com este 'novo português'; não admira que o pessoal tenha cada vez mais esgotamentos e stress. Já não se diz o que se pensa, tem de se pensar o que se diz de forma politicamente correcta'.

E falta ainda esclarecer que os tradicionais "anões" estão em vias de passar a "cidadãos verticalmente desfavorecidos"...

Os idiotas e imbecis passam a designar-se por "indivíduos com atitude não vinculativa"

O mongolismo passou a designar-se síndroma do cromossoma 21.

Os gordos e os magros passaram a ser pessoas com disfunção alimentar.

Os mentirosos passam a ser "pessoas com muita imaginação"

Os que fazem desfalques nas empresas e são descobertos são "pessoas com grande visão empresarial mas que estão rodeados de invejosos"

Para autarcas e políticos, afirmar que "eu tenho impunidade judicial", foi substituído por "estar de consciência tranquila".

O conceito de corrupção organizada foi substituído pela palavra "sistema".

Difícil, dramático, desastroso, congestionado, problemático, etc.,  passou a ser sinónimo de complicado.

E ainda dizem que a justiça em Portugal é lenta!!!!

Há vários casos destes, podem pesquisar na internet se não acreditarem
no site do publico, p exemplo:
Fez-se Justiça em Portugal, finalmente!...
*A justiça portuguesa está de parabéns!
* Depois de anos e anos a batalhar eis que surgem os primeiros resultados.

· Desde a morte de Francisco Sá Carneiro e do eterno mistério que a rodeia,
· Ao desaparecimento de Madeleine McCann,
· Ao caso Casa Pia
· Do caso Portucale
· Da compra dos submarinos
· Às escutas ao primeiro-ministro
· Do caso da Universidade Independente
· Ao caso da Universidade Moderna
· Do Futebol Clube do Porto
· Ao Sport Lisboa Benfica
· Da corrupção dos árbitros
· À corrupção dos autarcas
· De Fátima Felgueiras
· A Isaltino Morais
· Da Braga parques
· Ao grande empresário Bibi
· Das queixas tardias de Catalina Pestana
· Às de João Cravinho
· Dos doentes infectados por acidente e negligência de Leonor Beleza com o vírus da sida.
.Do processo Costa Freire / Zeze Beleza, quem não se lembra ?
· Do miúdo electrocutado no semáforo
· Do outro afogado num parque aquático
· Das crianças assassinadas na Madeira
· Do mistério dos crimes imputados ao padre Frederico
· Do autarca alentejano queimado no seu carro e cuja cabeça foi roubada do Instituto de Medicina Legal
· A miúda desaparecida em Figueira
· Todas as crianças desaparecida antes delas, quem as procurou
· As famosas fotografias de Teresa Costa Macedo. Aquelas em que ela reconheceu imensa gente 'importante', jogadores de futebol, milionários, políticos.
· Os crimes de evasão fiscal de Artur Albarran
· Os negócios escuros do grupo Carlyle do senhor Carlucci em Portugal.
· O mesmo grupo Carlyle onde labora o ex-ministro Martins da Cruz, apeado por causa de um pequeno crime sem importância, o da cunha para a sua filha.
· E aquele médico do Hospital de Santa Maria, suspeito de ter assassinado doentes por negligência
Pois é... a justiça portuguesa está de Parabéns!
Depois de anos e anos a batalhar eis que surgem os primeiros resultados.

O agricultor que há uma semana foi apanhado a conduzir embriagado uma carroça puxada por um burra, na EN 17, em Celorico da Beira, foi ontem, quinta-feira, condenado, em processo sumário, a pagar 450 euros de multa. Pena pode ser substituída por trabalho comunitário, (Pois este sr. trabalha e não vive com qualquer subsidio do governo)
Jorge Rodrigues, de 34 anos, agricultor, foi condenado pelo Tribunal Judicial de Celorico da Beira, neste caso, a juíza Cláudia Jesus, que considerou "muito grave" o crime pelo qual o agricultor ia acusado, aconselhou-o a nunca pegar num veículo, seja ele a motor ou de tracção animal, depois de ter bebido, condenou um homem apanhado com uma taxa de álcool no san.uma pena de 90 dias de multa, à razão de cinco euros por dia, por ter sido apanhado a 11 de Agosto a conduzir o veículo de tracção animal com uma taxa de alcoolemia de 2,85 g/l no sangue.
O valor mínimo da multa aplicada, que totaliza 450 euros, teve em conta, segundo a juíza de turno que ditou a sentença, a situação social do arguido e o facto de ser primário. Foi-lhe ainda aplicada, como pena acessória, a inibição de conduzir qualquer veículo motorizado por um período de sete meses.
A pena exclui a proibição de o arguido guiar a carroça puxada pela burra, o meio de transporte que mais utiliza, pese embora ter licença, segundo o próprio, para conduzir tractores e motociclos." Venda a burra se ela for uma tentação", desafiou
Até que enfim.... e em tempo recorde 8 dias depois julgado e condenado !!!!!!!!!!!!!!
YEAAAAAAAAH!...
Agora sim, sinto-me mais seguro !

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Somos únicos carago, somos os maiores



SER PORTUGUÊS É:

  1. Levar arroz de frango para a praia.

  2. Guardar as cuecas velhas para polir o carro.

  3. Lavar o carro na rua, ao domingo.

  4. Ter pelo menos duas camisas traficadas da Lacoste e uma da Tommy (de cor amarelo-canário e azul-cueca).
  5. Passar o domingo no shopping.

  6. Tirar a cera dos ouvidos com a chave do carro ou com a tampa da esferográfica.

  7. Ter bigode.

  8. Viajar pró cu de Judas e encontrar outro Tuga no restaurante.

  9. Receber visitas e ir logo mostrar a casa toda.

  10. Enfeitar as estantes da sala com os presentes do casamento.

  11. Exigir que lhe chamem 'Doutor'.

  12. Exigir que o tratem por Sr. Engenheiro.

  13. Axaxinar o Portuguex ao eskrever.

  14. Gastar 50 mil euros no Mercedes C220 cdi, mas não comprar o kit mãos-livres, porque 'é caro'.
  15. Já ter 'ido à bruxa'.

  16. Filhos baptizados e de catecismo na mão, mas nunca pôr os pés na igreja.

  17. Não ser racista, mas abrir uma excepção com os ciganos.

  18. Ir de carro para todo o lado, aconteça o que acontecer, e pelo menos, a 500 metros de casa.

  19. Conduzir sempre pela faixa da esquerda da auto-estrada (a da direita é para os camiões).

  20. Cometer 3 infracções ao código da estrada, por quilómetro percorrido!!!

  21. Ter três telemóveis.

  22. Gastar uma fortuna no telemóvel mas pensar duas vezes antes de ir ao dentista.

  23. Ir à bola, comprar o bilhete 'prá-geral' e saltar 'prá-central'.

  24. Viver em casa dos pais até aos 30 anos ou mais.

  25. Ser mal atendido num serviço, ficar lixado da vida, mas não reclamar por escrito 'porque não se quer aborrecer'.

  26. Falar mal do Governo eleito e esquecer-se que votou nele.

Viva Portugal, carago...

O tempo

Tragam um incêndio sem água para matar. 
Como um postal oferecido em rosas sentidas, 
O sangue virou-se para o coração na tua sede. 
Dedo de um amor a rasgar, raiz e caule, 
Cada momento onde os raios de sol caem. 
O coração vira o escravo que sou de ti 
Não choro sozinho, espero à dois 
As palavras hoje proferidas “ Mãe da minha filha” 
Encaixe de uma faixa musical. 
Que passei a cantar 
Como todo tempo do mundo....

O Meu Orgasmo

A minha relação agora com uma mulher é uma coisa instintiva, ficou natural, muito mais natural que algum tempo atrás. Aprendi a pensar como uma mulher. Porque só uma mulher pode gostar das mesmas coisas que outra mulher. Eu era impaciente, inseguro, só conhecia a minha parte, o meu prazer, o meu bem-estar. Pouco sabia como era o orgasmo de uma mulher. Hoje aprendi que o orgasmo começa pela "pele", vai subindo, crescendo... o orgasmo domina, invade todo o corpo, só agora aprendi isso, só agora sei como senti-lo. Agora conheço o lugar exacto que trás a total plenitude do orgasmo ... Agora sinto ela, diabólica, divinal... Sinto agora o prazer que aprendi a sentir depois de pensar como uma mulher.

Woody Allen no seu melhor!

Na minha próxima vida, quero viver de trás para a frente. Começar morto, para despachar logo o assunto. Depois, acordar num lar de idosos e ir-me sentindo melhor a cada dia que passa. Ser expulso porque estou demasiado saudável, ir receber a reforma e começar a trabalhar, recebendo logo um relógio de ouro no primeiro dia. Trabalhar  40 anos, cada vez mais desenvolto e saudável, até ser jovem o suficiente para entrar na faculdade, embebedar-me diariamente e ser bastante promíscuo. E depois, estar pronto para o secundário e para o primário, antes de me tornar criança e só brincar, sem responsabilidades. Aí torno-me um bébé inocente até nascer. Por fim, passo nove meses flutuando num "spa" de luxo, com aquecimento central, serviço de quarto à disposição e com um espaço maior por cada dia que passa, e depois - "Voilá!" - desapareço num orgasmo ...


Woody Allen

Vivo a Vida

Será que nunca vivi esta vida?
Muitos pensam que não
Outros dizem que vivo no limite
Esta vida foi-me  sofredora
Não morri porque estava vivo
Poucos perceberam a dor
Sou eu sei por quem vivo
Mas agora 
rasgo a tristeza
Apenas lembranças que ficaram
Estou vivo,viverei esta vida
Coloco um pouco de pimenta
Neste vida minha que foi triste

sábado, 9 de novembro de 2013

Lembro-me com saudades

Anos 80, o mundo tão diferente. Acho que a minha Mãe tinha um televisor de apenas 2 canais , preto e branco. Lembro-me vagamente esperar para ver os desenhos animados do Vasco Granja, pelo qual esperava religiosamente na expectativa de ver o Casimiro ou o Speedy Gonzalez, às vezes saiam-me na rifa aqueles desenhos que vinham da Europa de Leste. Para brincar tinha os meus carrinhos de metal, um comboio de plástico, tudo servia para brincar. 

Mais tarde também me iniciei na Playmobil. Tinha livrinhos da Anita e acreditem ou não, alguém me deu um livro do Noddy, era em Inglês e só muitos anos depois voltei a ouvir falar do dito, agora personagem famoso. 

Tive dezenas livros do Tio Patinhas, do Micky ... livros que devorava. Perdia o tempo com os amigos em frente da Tv, ver a rua Sésamo, com o Egas e o Becas, os marretas!!! E os cromos da Bola do Mundial 86 no México... falam hoje eles disso.. no meu tempo fazíamos por amor, não por dinheiro. Ia para a praia, existia espaço.. não precisava levar a toalha atrás para não ser roubada. 

Os Natais eram mágicos, a Tv. passava filmes bonitos da Disney, vinha a família toda e comíamos coisas que só mesmo no Natal havia paciência para fazer..... esperávamos pela meia-noite para abrirmos os presentes. Lembro-me que chegava da escola às 18:00, ir à mercearia , comprar uma bomboca, sempre de baunilha. 

Aqui perto de casa, a escola primaria, onde o pessoal começou a era do Skate e da Bicicleta, coisa boa que o ET, trouxe foi a BMX. 
Ainda me lembro do meu primeiro relógio digital! Para minha grande tristeza não era aquele que eu queria, mas tinha os segundos e luz para ver à noite. Um luxo!

E as musicas... saudades de ouvir uma boa K7 beta....Pink Floyd, Doors, música clássica. Lembro-me de ir a casa do meu vizinho pra brincar com ele e ver a irmã em frente a Tv., ar de concentração total com o Bamby (coitadinho), a Branca de Neve, o Papuça e Dentuça, a Dama e o Vagabundo, ou seja, aquilo que havia para ver na altura.

 Eu já era mais Super- Homem, Capitão América..etc.... heróis que hoje fazem falta. Na televisão era uma festa quando dava um filme e geralmente eram filmes para a família, recordo com alegria os filmes do Jeery Lewys em especial o Cinderelo dos pés grandes (vá-se lá saber porquê). 
 
Mais tarde tive um spectrum e foi o inicio da era digital para mim. Eram horas a jogar ao Horácio vai esquiar, tardes perdidas com os colegas a jogar Chucky Egg e Maniac Miner. Lembro do som .. para o jogo entrar... magnifico. Rádio Cidade... Alegria no Ar... fez a delicia do pessoal.. uma rádio pirata.. lá vão os tempos.

São João, Santo António.. todos os santos, o pessoal... ir bater às portas" Podia dar qualquer coisinha". Fazíamos festas, fogueiras...

Hoje esse espírito não existe... hoje tudo se perdeu... pena ..Saudades dos bons tempos

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Pensamento

se cada lágrima minha fizesse uma escada, era capaz de chorar como uma criança,  subir até ao céu, e trazer-te de volta minha filha...

Os sons da noite


Paixões reveladas,
Desejos sedados,
Nunca acreditei uma só vez,
Que os nossos prazeres tinham espera.

Romance nunca perdido,
Agora desejo na ganância,
Não existe noites longas,
Existem momentos únicos.

Mas com o olhar insistente,
Sobre a pele lisa do cetim,
Durante a noite muito nossa
Torno-me um consumidor da fraqueza.

Um fogo na lareira,
Nossa única luz,
Ainda contenho os impulsos,
A paixão chama por ti.

Acariciando os teus cabelos,
Projectado para agradar,
Tua respiração cresce macio,
Uma provocação sensual.

Lábios finalmente se encontrarem,
Tão carinhoso e esperado,
Línguas, se entrelaçam,
A procura do sem fim.

Pontas dos dedos no rastreamento,
No corpo que quero pecar,
Desperto os nervos do prazer.
Panos sussurrando pelo chão,

Trazendo prazer na pele quem apresenta,
Sem pressa nenhuma
Seremos presas da noite.
Com a luz do fogo,

Juntamos um antigo ritual,
Como suaves gemidos de prazer,
Tornamos a nossa noite em sons de prazer.

Chef ( itos,ões) es


Há contas para tudo. Quando vamos às compras fazemos contas ao bolso e ao estômago. Quando nos encontramos com um amigo chato fazemos contas à vida e quando vamos ver o Benfica a jogar fazemos contas a quantidade golos que iram marcar. Mas neste contar da vida não é todos os dias que um individuo põe-se a contar os chefes que tem.

De tanto ouvir chamar chefe, chefe aquilo, e antes que com um trauma pós-adolescência contra os chefes. decidi pôr-me em dia e saber desde já à quantas andamos nisso de chefes.

Parecendo que não tudo começa em casa. lembra-se do papi e mami dizer " Em casa manda ela e nela mando eu ", Logo ai tinha 2 chefes. A mãe que manda na casa e o pai que é o chefe da família. Depois vem a escola. Ai somos obrigados a aturar o chefe de turma. o professor. o coordenador do curso. o diretor da escola., até o senhor Manuel, o Zelador, aquele tinha sempre uma revista da Playboy.. O número vai subindo.

O pobre cidadão, antes mesmo de chegar ao 1 emprego. Já vai te chefes. Dois em casa e cinco na escola. Chegados ao serviço começa então uma verdadeira prova a capacidade matemática. Primeiro o chefe de secção, ai o numero sobe para oito chefes. Depois vem o chefe de que é mesmo chefe.

Vamos ficando ou mudando de empresa, mais os chefes continuam sempre.
Existem aqueles felizardos como eu, tenho poucos chefes. Vejamos... o meu chefe da secção, o chefe da local, o chefe da área, o chefe que manda no meu chefe, no do local e da área e o chefe que manda no meu, no do local, no da área e no chefe que manda no meu da área do local . 

Nem são contas complicas, pra não falar no meu Subchefe, que na ausência do meu chefe é meu chefe também.
Como não haveriam os trabalhadores de chamar 'chefe a todo o mundo com esse maldito record de trinta chefes/?'! Todo o mundo prefere, chamar chefe ao outro... vejamos... não vou eu estar a falar realmente com um dos 30 chefes que tenho, então falo logo...
" bom dia chefe",

até no transito " Se não sabes conduzir, deixa o carro em casa, "ô chefe".
Precavidos e democráticos os Portugueses não têm meio.: termos. toca a chamar chefe a todo o mundo. Aliás, não é possível conhecer pessoalmente os trinta chefes a que cada um de nós tem.

Existem muitos chefes. Então. como irremediavelmente teremos que ter tantos chefes. pelo menos que se criem escalões entre os.chefes. Poderíamos ter por, exemplo. chefes do grupo A/B e.: Por sua vez cada grupo deveria ter .graus. Primeiro, segundo e terceiro grau. do grupo A.B ou C. Não nos restam dúvidas de que assim poderíamos reconhecer essa imensa onda de chefes.. 

Começaríamos então a chamar" senhor primeiro chefe A " ou senhor segundo chefe B " e todos eles andariam com um cartão de identificação. Já imagino o meu chefe de secção " Senhor Lopes, venha cá", eu chegar perto, não ver a tal identificação e dizer " Sem identificação, não há conversa". 

E vivam os chefes.

Vento que levou a tristeza

Sopra o vento apressado, e ninguém para desabafar.Contei ao vento meus lamentos, e ele começou a uivar. O dia ficou cinzento, cai a triste chuva que me acalma,  solidário com o sofrimento, Essa dor que me atormenta a alma.! Surgiu um raio luminoso e quente, É o sol que me acaricia a face para me aquecer, Deixou-me sorridente, E percebi, que a tristeza é para esquecer!

A Lei dos padres

A vulnerabilidade das crianças toca qualquer ser humano..:.Quando vimos as imagens de guerras, fome ou cataclismos naturais basta o rosto de uma só criança para termos a noção da tragédia. Lembro em 1996 viver esses rostos numa missão realizada na Bósnia. 

Crianças de rostos sem voz. 

Quando falamos do abuso de criança, a nossa ira sobe de tom. E quando esse abuso é perpetuado por membros da Igreja, seja ela qual for, então o choque é muito maior.

Encontrar justificação para o encobrimento de crimes que deviam ser severamente punidos, permitindo mesmo que os criminosos continuassem a abusar de menores durante décadas é total e absolutamente impossível. dizem-se eles mensageiros da Palavra do Senhor... o castigo devia ser outro. 

No código penal, existe algo que informa" ocultação", é crime. Os bispos são tão culpados como os padres, quem sabe deste tipo de crime e nada faz, também o faz. 

A partir do momento em que um padre abusa de uma criança a sua punição não pode ser da responsabilidade da Igreja mas sim da justiça igual para todos. é a igreja que nós temos... Eis os senhores da palavra Divina.

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Ontem / noite




Ontem fui esquecer a tristeza/lá fui até a rua dançar/divertir não faz mal/é época de crise/ninguém leva à mal/vesti uma roupa quentinha/e fui dar a perninha/e sai da minha casinha/ e foi ter com a menininha/ que é um pouco atrevidinha/mesmo estando com roupinha/toda ela estava quentinha/como ela toda balançava/ Alegrava todos que a olhavam/acabei esta noite/ com o sabor dessa menininha/ esqueci a tristeza/ esqueci que vinha tristinho.

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Enquadrados

Minhas mãos / Teus quadris
Esta boca / Teus lábios
O cabelo / Os teus seios
Meu corpo contra o teu
Os dedos em acaricia
Minhas mãos /O teu ventre
Meus dedos / tuas pernas
Minha boca / teu sexo
Nossos corações unidos
Respiração pesada e feroz
Cansados
Apenas por algum tempo
Nada de errado / só direito
Não resisto / Adoras
Preocupo-me / apenas cuidas
Amo-te/  deténs
Beijo-te / tocas-me
No mais profundo que à em mim
Sinto o desejo por mim.

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

.....Que faço!

Ontem embarquei num mar de emoções
Por momentos chorei
Outros sorri
Em outros tantos senti prazer
Quis deixar o nosso navio
Acabei por ser novamente marinheiro
Como quero ser o borbulhar da tua vida
Levar-te amor, sensações, o prazer
Quero dizer-te " acorda sou eu"
Como ouvir " sou a tua princesa"
És sim a rainha do meu coração
Quem alimenta o meu dia
Por ti, coloco o cinto de castidade
Quero ser o Homem e o filho da puta
Mais uma vez quero dizer
Desejo-te, hoje
E amanha...... !!!

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Pedido....

Tenho medo de  perder e e sei que és minha. Tens os olhos mais lindos da terra inteira, tens o toque mais sincero, tens a capacidade de me fazer sorrir, de me fazer sentir protegido e feliz.

Não faças perguntas difíceis, não fales de assuntos complicados, continua a seres quem és, continua no meu sonho , continua ao meu lado, continua a tornar isto tão maravilhoso. 

Mantém-me acordado, mantém-me vivo. Caminha devagar, para que os passos um dia  levem a algum lugar firme. No caminho, tem paciência se eu cair, respeita os meus silêncios, olha bem para o meu sorriso.

Nunca te esqueças que sou como uma criança, precisa de magia para acontecer, tudo necessita de um pouco de ingenuidade.

Poetas

só clicar no título para ler ou imprimir.
A Divina Comédia -Dante Alighieri A Comédia dos Erros -William Shakespeare Poemas de Fernando Pessoa -Fernando Pessoa Dom Casmurro -Machado de Assis Cancioneiro -Fernando Pessoa Romeu e Julieta -William Shakespeare A Cartomante -Machado de Assis Mensagem -Fernando Pessoa A Carteira -Machado de Assis A Megera Domada -William Shakespeare A Tragédia de Hamlet, Príncipe da Dinamarca -William Shakespeare Sonho de Uma Noite de Verão -William Shakespeare O Eu profundo e os outros Eus. -Fernando Pessoa Dom Casmurro -Machado de Assis Do Livro do Desassossego -Fernando Pessoa Poesias Inéditas -Fernando Pessoa Tudo Bem Quando Termina Bem -William Shakespeare A Carta -Pero Vaz de Caminha A Igreja do Diabo -Machado de Assis Macbeth -William Shakespeare Este mundo da injustiça globalizada -José Saramago A Tempestade -William Shakespeare O pastor amoroso -Fernando Pessoa A Cidade e as Serras -José Maria Eça de Queirós Livro do Desassossego -Fernando Pessoa A Carta de Pero Vaz de Caminha -Pero Vaz de Caminha O Guardador de Rebanhos -Fernando Pessoa O Mercador de Veneza -William Shakespeare A Esfinge sem Segredo -Oscar Wilde Trabalhos de Amor Perdidos -William Shakespeare Memórias Póstumas de Brás Cubas -Machado de Assis A Mão e a Luva -Machado de Assis Arte Poética -Aristóteles Conto de Inverno -William Shakespeare Otelo, O Mouro de Veneza -William Shakespeare Antônio e Cleópatra -William Shakespeare Os Lusíadas -Luís Vaz de Camões A Metamorfose -Franz Kafka A Cartomante -Machado de Assis Rei Lear -William Shakespeare A Causa Secreta -Machado de Assis Poemas Traduzidos -Fernando Pessoa Muito Barulho Por Nada -William Shakespeare Júlio César -William Shakespeare Auto da Barca do Inferno -Gil Vicente Poemas de Álvaro de Campos -Fernando Pessoa Cancioneiro -Fernando Pessoa Catálogo de Autores Brasileiros com a Obra em Domínio Público -Fundação Biblioteca Nacional A Ela -Machado de Assis O Banqueiro Anarquista -Fernando Pessoa Dom Casmurro -Machado de Assis A Dama das Camélias -Alexandre Dumas Filho Poemas de Álvaro de Campos -Fernando Pessoa Adão e Eva -Machado de Assis A Moreninha -Joaquim Manuel de Macedo A Chinela Turca -Machado de Assis As Alegres Senhoras de Windsor -William Shakespeare Poemas Selecionados -Florbela Espanca As Vítimas-Algozes -Joaquim Manuel de Macedo Iracema -José de Alencar A Mão e a Luva -Machado de Assis Ricardo III -William Shakespeare O Alienista -Machado de Assis Poemas Inconjuntos -Fernando Pessoa A Volta ao Mundo em 80 Dias -Júlio Verne A Carteira -Machado de Assis Primeiro Fausto -Fernando Pessoa Senhora -José de Alencar A Escrava Isaura -Bernardo Guimarães Memórias Póstumas de Brás Cubas -Machado de Assis A Mensageira das Violetas -Florbela Espanca Sonetos -Luís Vaz de Camões Eu e Outras Poesias -Augusto dos Anjos Fausto -Johann Wolfgang von Goethe Iracema -José de Alencar Poemas de Ricardo Reis -Fernando Pessoa Os Maias -José Maria Eça de Queirós O Guarani -José de Alencar A Mulher de Preto -Machado de Assis A Desobediência Civil -Henry David Thoreau A Alma Encantadora das Ruas -João do Rio A Pianista -Machado de Assis Poemas em Inglês -Fernando Pessoa A Igreja do Diabo -Machado de Assis A Herança -Machado de Assis A chave -Machado de Assis Eu -Augusto dos Anjos As Primaveras -Casimiro de Abreu A Desejada das Gentes -Machado de Assis Poemas de Ricardo Reis -Fernando Pessoa Quincas Borba -Machado de Assis A Segunda Vida -Machado de Assis Os Sertões -Euclides da Cunha Poemas de Álvaro de Campos -Fernando Pessoa O Alienista -Machado de Assis Don Quixote. Vol. 1 -Miguel de Cervantes Saavedra Medida Por Medida -William Shakespeare Os Dois Cavalheiros de Verona -William Shakespeare A Alma do Lázaro -José de Alencar A Vida Eterna -Machado de Assis A Causa Secreta -Machado de Assis 14 de Julho na Roça -Raul Pompéia Divina Comedia -Dante Alighieri O Crime do Padre Amaro -José Maria Eça de Queirós Coriolano -William Shakespeare Astúcias de Marido -Machado de Assis Senhora -José de Alencar Auto da Barca do Inferno -Gil Vicente Noite na Taverna -Manuel Antônio Álvares de Azevedo Memórias Póstumas de Brás Cubas -Machado de Assis A "Não-me-toques"! -Artur Azevedo Os Maias -José Maria Eça de Queirós Obras Seletas -Rui Barbosa A Mão e a Luva -Machado de Assis Amor de Perdição -Camilo Castelo Branco Aurora sem Dia -Machado de Assis Édipo-Rei -Sófocles O Abolicionismo -Joaquim Nabuco Pai Contra Mãe -Machado de Assis O Cortiço -Aluísio de Azevedo Tito Andrônico -William Shakespeare Adão e Eva -Machado de Assis Os Sertões -Euclides da Cunha Esaú e Jacó -Machado de Assis Don Quixote -Miguel de Cervantes Camões -Joaquim Nabuco Antes que Cases -Machado de Assis A melhor das noivas -Machado de Assis Livro de Mágoas -Florbela Espanca O Cortiço -Aluísio de Azevedo A Relíquia -José Maria Eça de Queirós Helena -Machado de Assis Contos -José Maria Eça de Queirós A Sereníssima República -Machado de Assis Iliada -Homero Amor de Perdição -Camilo Castelo Branco A Brasileira de Prazins -Camilo Castelo Branco Os Lusíadas -Luís Vaz de Camões Sonetos e Outros Poemas -Manuel Maria de Barbosa du Bocage Ficções do interlúdio: para além do outro oceano de Coelho Pacheco. -Fernando Pessoa Anedota Pecuniária -Machado de Assis A Carne -Júlio Ribeiro O Primo Basílio -José Maria Eça de Queirós Don Quijote -Miguel de Cervantes A Volta ao Mundo em Oitenta Dias -Júlio Verne A Semana -Machado de Assis A viúva Sobral -Machado de Assis A Princesa de Babilônia -Voltaire O Navio Negreiro -Antônio Frederico de Castro Alves Catálogo de Publicações da Biblioteca Nacional -Fundação Biblioteca Nacional Papéis Avulsos -Machado de Assis Eterna Mágoa -Augusto dos Anjos Cartas D'Amor -José Maria Eça de Queirós O Crime do Padre Amaro -José Maria Eça de Queirós Anedota do Cabriolet -Machado de Assis Canção do Exílio -Antônio Gonçalves Dias A Desejada das Gentes -Machado de Assis A Dama das Camélias -Alexandre Dumas Filho Don Quixote. Vol. 2 -Miguel de Cervantes Saavedra Almas Agradecidas -Machado de Assis Cartas D'Amor - O Efêmero Feminino -José Maria Eça de Queirós Contos Fluminenses -Machado de Assis Odisséia -Homero Quincas Borba -Machado de Assis A Mulher de Preto -Machado de Assis Balas de Estalo -Machado de Assis A Senhora do Galvão -Machado de Assis O Primo Basílio -José Maria Eça de Queirós A Inglezinha Barcelos -Machado de Assis Capítulos de História Colonial (1500-1800) -João Capistrano de Abreu CHARNECA EM FLOR -Florbela Espanca Cinco Minutos -José de Alencar Memórias de um Sargento de Milícias -Manuel Antônio de Almeida Lucíola -José de Alencar A Parasita Azul -Machado de Assis A Viuvinha -José de Alencar Utopia -Thomas Morus Missa do Galo -Machado de Assis Espumas Flutuantes -Antônio Frederico de Castro Alves História da Literatura Brasileira: Fatores da Literatura Brasileira -Sílvio Romero Hamlet -William Shakespeare A Ama-Seca -Artur Azevedo O Espelho -Machado de Assis Helena -Machado de Assis As Academias de Sião -Machado de Assis A Carne -Júlio Ribeiro A Ilustre Casa de Ramires -José Maria Eça de Queirós Como e Por Que Sou Romancista -José de Alencar Antes da Missa -Machado de Assis A Alma Encantadora das Ruas -João do Rio A Carta -Pero Vaz de Caminha LIVRO DE SÓROR SAUDADE -Florbela Espanca A mulher Pálida -Machado de Assis Americanas -Machado de Assis Cândido -Voltaire Viagens de Gulliver -Jonathan Swift El Arte de la Guerra -Sun Tzu Conto de Escola -Machado de Assis Redondilhas -Luís Vaz de Camões Iluminuras -Arthur Rimbaud Schopenhauer -Thomas Mann Carolina -Casimiro de Abreu A esfinge sem segredo -Oscar Wilde Carta de Pero Vaz de Caminha. -Pero Vaz de Caminha Memorial de Aires -Machado de Assis Triste Fim de Policarpo Quaresma -Afonso Henriques de Lima Barreto A última receita -Machado de Assis 7 Canções -Salomão Rovedo Antologia -Antero de Quental O Alienista -Machado de Assis Outras Poesias -Augusto dos Anjos Alma Inquieta -Olavo Bilac

domingo, 27 de outubro de 2013

Cinzas com cor

Onde os meus olhos estão, lá deixo o coração
Que o mundo baptize a minha inocência
Que o romance fique, pois pertenço a eternidade

Do pesado fardo carregado,
Tonelada de conquistas, esta alma passou
Assenta sol dourado, onde o corpo solta à dor

Agora, pego na incognoscível
E busco à eterna estrela da felicidade
Esqueci com quem dormi a noite passada
Pois lembro-me que ao teu lado sou feliz

O destino assim quis
Empurrou-me para ti
Hoje a sorte morre de dor,
Sabe que sou feliz

Fecho os olhos, pureza minha
A imortalidade salva minha sede,
Consegui matar a desgraça
E renasci à felicidade

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Falar de Amor

Falar de ti
É como lamber os dedos,
O chocolate derretido
No calor da boca;
Fechar os olhos
E desejar mais...
Falar de ti
É arrancar um grito
De emoção e surpresa
Daquele a quem se deseja
E venerar as coisas
Simples do dia-a-dia...
Falar de ti
É ver no sonho
A possibilidade de realização
E com ela sonhar mais e mais,
Sem, contudo, desistir,
Ao acordar e nada ver...
Falar de ti
É crer na vida, na poesia,
Fazer laços de vento,
Travar arribações;
Sorver a luz do sol,
E deixar pulsar o coração...
Falar de ti...
É não dizer nada, ao telefone,
Apenas respirar
Num só compasso
E do outro lado sentir "
Quase" o perfume...
Falar deste sentimento
É ver, nas nuvens, um rosto
A desfazer-se em chuvas,
Que dão vida à natureza
Envolvendo-a no frescor
Do orvalho que amanhece...
Falar de ti
É sentir,
No dia que nasce,
Toda a energia
Do universo infinito
E roubá-la, ao inspirar...
Falar de ti
É crer na beleza:
Do mundo,
Das coisas,
Dos sonhos
E ser belo também!
Falar de amor
É ser feliz Na certeza,
Ainda que breve,
De um doce momento
De felicidade

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Jardim



...vens agora que serei teu... ESTADO DE EXTASE... DE MIM PARA TI...
DELÍRIOS MEUS...

..lembras-te das minhas palavras? ... minha incansável busca? ...vem.. vem para mim... vem desinibida, despida e livre... vem para amar-me... pq necessito ser amado, e desejo amar... isto é infinito em mim, tu queres?

Queres que eu ame como a uma Divindade, idolatrar-te, deliciar-te dos pés a tua cabeça, em cada pedaço teu? ...então vem... meu desejo, vem sem culpas e sem medos... pois  amarei como nunca fostes amada antes...ou em toda tua vida!!

Porque eu sei que o que tens dentro de ti, é o que quero para mim... sentarei no pedestal, ajoelharei-me nos teus pés, e  implorarei-te amor... em lágrimas a desejar-te... deixe-me... deixe-me tocar os teus pés... acariciar tuas pernas... e deitar meu corpo em teu colo.. e que tuas mãos afaguem meus cabelos, dizendo-me ..meu menino... sou tua... fazes o que desejas de mim... permito!!! ..então sorrateiramente subirei em teu colo e beijarei a boca... 

passarei minha língua dentre teus dentes, com minhas mãos a prender teus cabelos, com força para que não te perder .... e assim... eu possa  tirar o oxigénio todo para mim, e tu sem ar a desejar-me pois somente eu poderei dar tua vida de volta... passarei minha língua no teu rosto... lavo a  tua saliva... e descerei em teu corpo... passarei minha língua nos teus mamilos, onde eles ao meu toque enrijecerão, irei ao outro lado... o mesmo acontece... estás a explodir... e eu como macho no cio não consigo parar, pois sinto-te minha... somente minha... estou sem ar... sem saliva... com teu peito a arder... e meu sexo húmido...

mas não consigo ... não consigo parar... tamanha é minha necessidade de ti... deixe-me colocar-me com a a boca... deixe-me acariciá-la como se ela (teu sexo) fosse meu troféu, como se ela o estivesse a explodir para mim... esperando somente por meu toque e meu prazer... pegue tua mão e coloque-a em mim e perceba o quanto estou afagado de prazer por ti, pego tuas mãos e peço-te... toque-me... toque-me... desbrava-me e veja... a quentura que estou sentindo... por ti... e tu passas tua mão por mim... dizes, gemes e gritas... ohhhhhhh ...como desejo... sem pensar sentas em cima do meu sexo... e ele penetra-te bem profundo...sinto-o no teu estômago, mas não paro, pois eu o quero dentro de ti... beijo-te com volúpia, êxtase... e tu jogas-me ao chão, pois queres-me onde  pareço um animal, pois assim posso cavalgar puxando-te pelos longos cabelos e tu sentes o teu CAVALEIRO...

levantas-te comigo dentro, e por onde desejas, e beijas-me a boca, e depois joga-me novamente para baixo e continuas a cavalgar e a urrar como uma DEUSA... e eu a rebolar em oito sem parar suado e sem ar... Implorando-te para que não pares... não pares nunca... porque quero teu sabor, para sermos nesta hora... um só. CORPO ... ALMA... E ESPÍRITO!!!